Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2009
As vezes sinto que me olham com desejo
ja outras percebo que também sentem medo
Eu sei que não podem me ver como eu me vejo
pois sei ninguém pode me enxergar por dentro
Tanto há também lugares que eu nunca entro
como há outros que eu até desejei um momento.
Está aberto ou fechado?
Está distante ou ao lado?
Quer pegar ou largar?
Quer voar? Quer pousar?
É coragem ou medo?
É desprezo ou desejo?
Está saciado ou com fome?
Seria isso ou não pode?
É razão, emoção?
Sua mente ou seu coração?
É liberdade? É prisão?
É de verdade ou é só invenção?
É vergonha ou orgulho?
Sabe ouvir ou é surdo?
Pode falar ou é mudo?
Está em cima do muro?
É um recipiente vazio?
Ou seria um oco sem brio?
poderia ser fosco ou ter brilho?
Estaria inteiro ou inteiro moído?
Seria rico ou pobre?
Estaria fresco ou podre?
Saberia enfim decidir?
Ou prefere mentir, vai fingir
Que haveria de tão celestial
nessa dúvida tão infernal?
Se quando acha que pode
transforma tudo em ode
Irão chorar, gargalhar
E não fará diferença
se é acaso ou sentença
se inicia ou termina
se era de noite ou de dia
cheia de luz ou sombria
se deveria ficar ou de tão fraco partia
Estava certo ou errado?
Estava dormindo? Acordado?
Então sentindo-se dilacerado
Quis saber se o que lhe atingiu
Foi pluma leve ou foi um machado

Teve amigos? Inimigo…