Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2008

Carta ao anônimo

Diga seu nome
palhaço pobre,
quando me atacar
indiretamente.
Ou melhor!
Por favor me esqueça!
não pense em mim!
não fale por mim!
não se dirija a mim!
a não ser que pense
que possa faze-lo de frente.

A opção de não ler

Há tantas coisas que se pode fazer, tantas lugares a serem visitados e a possibilidade de também se buscar identificação em qualquer coisa. É realmente gratificante poder encontrar alguma semelhança nas coisas e lugares mais inesperados e com aqueles que também menos se espera, pra isso é preciso saber o que realmente se deseja encontrar.
As vezes a falta disso me leva a buscar um eixo nas minhas próprias experiências, não que eu pense que isso vá servir de exemplo aos outros pois o meu empirísmo pode também não me levar a parte alguma, porém me reservo o direito de revirar o meu baú de lembranças a partir do momento que isso me ajude a ser pleno em meu momento presente. Não posso mudar o que foi com isso, o que posso é arrebentar minhas correntes a partir do momento em que percebo o quanto elas impediam meus movimentos e quantas vezes não fiz esforço suficiênte pra arranca-las.
Não sou nenhum coitado que lamenta por coisas do passado, eu não apenas virei a página como também fiz ques…
o dia amanhecia e voltavamos pra casa voando...
Semente
Street Spirit

Drama

Eu vou seguir o seu rastro
eu vou perder meu coração
nós estaremos perto, próximos do fim
eu sou uma criança sem sangue
me divertindo, afogado em sua cabeça

me beije antes do amanhecer
me beije antes da queda
me beije antes da tristeza

Todos os nossos sonhos estão envelhecendo
nossos pais estão chorando, sem lágrimas
distantes do paraíso
nós estaremos próximos, perto do fim
seguindo por esse caminho
amando nossos amigos
sem lágrimas, distantes do paraíso

me beije antes do amanhecer
me beije antes da queda
me beije antes da tristeza
Acredito que há nesta vida, em relação ao trabalho, ao amor e a todas as coisas
aqueles que aprendem com a tristeza e os que aprendem com a alegria.
Acredito que pra cada um deles há um filtro diferente.
Para os tristes há um filtro que absorve, transforma e então libera toda a decepção como vitória, toda imcompreênsão como amor, mesmo que quem a libere não se beneficie disso, mesmo que movido apenas pela alegria que uma filtragem correta lhe proporciona.
Então há para aqueles que aprendem com alegria um filtro diferente, que não é como o filtro dos tristes, é um filtro que têm apenas a função de absorver e refletir exatamente aquilo que se recebeu.
As vezes, imagino que deve ocorrer uma falha na formação de cada um de nós e isto faz com que tenhamos filtros invertidos e eu acho que é isso que faz com que as vezes os tristes se enterrem por terem o filtro dos que têm sorte.
E acho que é por isso também que as vezes e os sortudos sejam tão indiferentes.

é melhor não falar

Não, não gosto de gagejar
Não gosto de inverter a ordem das palavras
então prefiro escrever
Porém certa vez, me lembro que escrevi uma carta à meu pai
com tudo o que eu precisava dizer
tudo aquilo que eu sabia que não conseguiria
por me sentir amedrontado
pelo modo que ele fosse entender

Então ele a rasgou e depois soltou um riso
e aquilo me matou e criou meu pessimismo

Parei de escrever, parei com quase tudo
o que podia me trazer a verdadeira sensação
da vida que eu queria ter

Mas hoje eu me sinto feliz por estar vivo
e sei que o que eu quizer eu consigo
mesmo de um jeito impossível de entender.

Péssimo exemplo

Não, não deixo a vaidade e o orgulho prevalecerem
pois como no futebol sei que há aqueles times que estão bem e aqueles que estão mal.
Mas cada jogo é um jogo!
E as vezes os piores vencem os melhores no momento em que o melhor não pode perder.

Real Failure

Agora que eu destruí todos os meus disfarces
Eu posso ver muito bem tudo o que eu não via
E não há muitoas coisas que me façam me sentir bem de novo

Mas ja era hora de eu saber a verdade
e saber que eu não sou nada do que eu esperava
e se eu pudesse explicar o que isso significa pra mim
é que eu acabo de abrir os meus olhos

E agora posso ver o quanto tenho sido sozinho
Mas isso é normal isso é algo com que eu me acostumei
e não importa quanto tempo eu tenha que ser assim
eu nunca vou deixar que me machuquem de novo
eu nunca vou deixar que você me machuque de novo
eu nunca vou me deixar machucar de novo.

Personal Crisis

No, I didn't fall again
I just had to change my plans
when my life cryed out
for my inside can shout

I had a dream last night
Than when I woke I felt fright
I thought
I wish
I could run
Till I can see anyone

Into the Sea

Eu estou preso no espaço entre o tempo e o silencio
Eu estou navegando num mar de ilusões
Eu estou perdido
Mas estou livre
Eu passei a noite
Eu passei o dia
Eu me perdi em suas direções
Cruzei o céu
Cruzei o mar

Eu atravessei os tempos
Eu me atirei ao ar
Atrevessei os tempos
Eu me perdi

Prisioneiro

Minhas mãos estavam sempre tentando te alcançar
por que elas não se esqueciam de quem você era
Mas minhas mãos sempre estiveram amarradas
por nós que você fez pra me prender.

Agora eu não quero permanecer seu prisioneiro
Mesmo que pra isso eu tenha que feri-lo
Por que me prender?
Por que impedir os meus atos?
Você têm que me soltar
Têm que me deixar em paz.
Estamos todos divididos entre aqueles que amamos
e esta divisão passa então a multiplicar as coisas boas, quando não se é indiferente a quem te ama.
Nosso coração é muito grande e nele cabe o amor à todas as pessoas e só a multiplicação desse amor preenche nosso vazio maior.
Um vazio imenso a ser preenchido, mas que nele não cabe a indiferença.

QiSiFRiZ!

Homem novo

O homem que se espalha é um rato
que suja cada centímetro em que anda
carregando bem alimentada sua pança
pela sua ração lixo cancerigena

O homem que se espalha é um rato
arrotando alcool e arrogância
enquanto humilha o semelhante
e ri de sua própria ignorância
mantida por sua memória de elefante.

Tempestade em copo d'água

Me lembrei que um dia brincava de esconde-esconde com outras crianças, eu devia ter uns oito anos no máximo. Me lembrei que corria pelos terrenos baldios que cercavam minha casa, naquela época não haviam mais que seis casas no quarteirão inteiro, as ruas eram de terra e o asfalto mais próximo passava longe dali. Eu corria muito tentando fugir e me esconder pra durar mais tempo na brincadeira, o mato alto fazia de qualquer canto um belo esconderijo, mas eu sempre buscava o lugar mais inacessível pra tentar dificultar a tarefa do pegador.
Só que nesse dia eu não tive tanta sorte, tropecei numa pedra ou nas minhas próprias pernas e caí todo desengonçado em cima de um tronco de árvore muito pequeno, o tronco soltou uma farpa que mais parecia um toco de lápis, a farpa enorme entrou na minha perna causando um dor terrível, em apenas alguns minutos eu ja suava frio de dor e tive que desistir da brincadeira.
Fui pra casa e quando entrei vi minha mãe que passava roupa, sentei na escada com …
Hoje resolvi não sair de casa, preciso fazer isso por um tempo, ando cansado e os últimos acontecimentos me fizeram chegar a conclusão de que preciso de um tempo pra pensar.
E nesse mesmo instante, como quase sempre, sinto me vazio de ações, tento escrever mas uma incerteza me consome e me parece que o modo como vejo tudo é diferente do que vêem a maioria das pessoas.
E eu me forço a estar entre o que me desagrada.
Pode isso realmente me ajudar a compreender as coisas? O quanto seria isso verdade se eu mesmo não sei o quanto estou pensando por mim mesmo ou estou tentando me encaixar na idéia que fazem de mim?
Sei que tenho a opção de estar sozinho mas sei o quanto também dependo das pessoas e isso também não é em apenas um sentido, uma necessidade, a vida numa sociedade capitalista como a de hoje exige que se seja bom, pra se ter um emprego, exige que se pague por tudo, pra nascer, pra se ter um nome até que por fim também pra morrer.
Tudo é disputado desde com certa cordialidade e c…

Vento

No meio da rua fria,
de alma vazia
no auge da noite quente,
cheia de gente
o instante não me mostrou claramente
pra onde devia ir
e o que eu devia fazer

então o coração me disse
que eu devia apenas
me entregar completamente
ao meu desejo de viver
ainda que parecesse criança
que desconexa de tudo
finge saber o que fazer

assim eu me lembrei das coisas
o que ainda tenho por viver
e decidi seguir o vento
deixei de me emudecer
e só assim tive as surpresas
que a vida pode trazer

e o vento me trouxe momentos
tão difíceis de entender!
e a estar entre pessoas
de maneiras tão diversas
de tentar aparecer
e a esperar que alguma delas
pudesse realmente ter
o que há muito tempo quero
a parte que não posso ser
alguém com quem criasse um elo
e uma energia favorável
que me ajudasse a crescer
e de repente encontrá-la
e não saber o que dizer
tentando simplesmente amá-la
e ser o que tiver que ser.

deixo o vento me levar
mesmo que eu não vá saber
pra onde o vento vai soprar
e o que ele pode me trazer
sei que quando ele soprar
me reve…

Busca involuntária por problemas

Eu não conheço nenhum modo seguro de se encontrar a felicidade.
Eu posso planejar o que vou fazer até o fim do meu dia e até alguns dias depois, mas eu nunca vou saber das armadilhas do futuro.
Eu tento aproveitar minhas sensações diante das mesmas situações sem complicações.
Eu tenho que aproveitar minhas sensações diante das mesmas situações sem complicações.
Mas eu conheço a minha capacidade de estragar tudo que eu tenho.
Eu conheço a minha capacidade de estragar tudo.
Eu busco o melhor e sempre espero pelo pior.
Sou árvore querendo ser passarinho, se minhas pernas envelhecem mais depressa é pelo esforço da raíz que quer caminhar, correr e pegar impulso suficiênte pra saltar e plainar no ar.
organismo caótico
Spirit of Sound
Isolamento.
Mal me quer